quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Pensamento do dia....


O melhor amor é aquele que acorda a alma e nos faz querer mais, que nos coloca fogo nos corações e traz paz às nossas vidas...

segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Em jeito de reflexão....


Terminado o ano 2009 e as festas o acompanharam (Natal e Passagem de Ano) e agora que tudo está mais calmo e a vida regressa à normalidade, apetece-me fazer uma pequena reflexão sobre o ano que há pouco terminou.
A palavra que se me ocorre e que me parece que melhor o define (relativamente a mim, claro) é que foi um ano de muita ANSIEDADE.
A partir de meados do ano (Maio/Junho) a ansiedade foi imensa:
Ansiedade por não saber o que me esperava,
Ansiedade por não saber como me organizar.
Ansiedade por não saber o que fazer da vida....
Ansiedade pela eminência de uma grande reviravolta em termos de estabilidade...
Mais lá para o fim de Julho, uma grande decepção que se prolongou até hoje: alguém que eu considerava minha AMIGA, decepcionou-me imenso e continua a fazê-lo. Passámos de AMIGAS a meras CONHECIDAS, tudo porque um dia a chamei à atenção sobre determinadas atitudes que estava a tomar que me desagradavam imenso, (até porque na minha perspectiva estava a ser uma má influência para duas jovens na idade em que a sua personalidade está em formação).
Há pessoas que precisam de saber que não são o centro do mundo e que nem tudo gira à sua volta. Não podem ser constantemente o centro das atenções e deveriam deixar de ser tão egoístas..... Na vida temos de lidar com todo o tipo de pessoas e não ser tão elitistas a pontos de magoar e ferir os que estão à sua volta.
Finais de Agosto, decisão final.
Afinal nem tudo correu assim tão mal e as coisas puderam organiza-se e tudo seguiu o seu rumo.
No entanto, nova ansiedade: o medo do novo e do desconhecido.
Felizmente tive a sorte de encontrar gente boa, bem disposta, amiga e companheira. Claro que no meio desta gente boa também se encontram algumas “cobras”.... Mas faz parte da vida. Temos de saber lidar com todo o tipo de gente e até agora as coisas têm corrido bem. Evidente que por vezes nos passamos com tanta “miudeza” e tanta “mesquinhice”, mas ainda assim o balanço é francamente positivo.
Chega Dezembro e com ele muitas REVELAÇÕES. Algumas das quais bastante surpreendentes. Valeram pela confiança que tiveram em mim. Independentemente de tudo, ficará sempre o meu carinho e o meu amor.
Aproxima-se também a época natalícia, e como é uma altura de muita SAUDADE para mim (das paisagens, dos cheiros, dos sabores e sobretudo das pessoas) é uma altura do ano de que eu não gosto particularmente.
Além de que esta época pode ser definida em apenas duas palavras: PRENDAS e COMIDA. Perdeu-se o verdadeiro espírito do Natal, e, falo por mim, não sei se alguma vez mais o irei recuperar.
Trata-se ainda de uma altura de BALANÇO (do que foi feito, do que foi dito, e, sobretudo, do que não foi feito e do que ficou por dizer). Ainda não sei que balanço faço eu deste ano que passou, mas tenho o grande defeito de me acomodar às situações... resta-me a ALMA rebelde e um ESPÍRITO sempre em movimento e sempre aberto a novas experiências e novas oportunidades.
Para terminar o ano com “chave de ouro”, tive uma agradável SURPRESA na tarde do último dia do ano que não foi mais do que a confirmação daquilo que o meu coração já sabia.

sexta-feira, 1 de janeiro de 2010