sexta-feira, 2 de julho de 2010

"As convenções sociais, as barreirras erguidas pela religião católica, o medo e a culpa sempre presentes na existência dos homens tiveram efeitos devastadores e perversos na construção da génese amorosa; o sexo foi de uma forma ou de outra, sempre visto como algo proibido, e ainda que atenuado como expressão de um amor, era sempre o amor carnal, a prática de um pecado cujo castigo seria cumprido com a expiação na terra, ou com um bilhete de ida sem volta ao inferno depois da morte. E apesar disso, ou, quem sabe, exactamente por isso, os homens e sobretudo as mulheres nunca desistiram do amor."
(M.R.P.)


Não quero desistir do AMOR. Por isso, é que me deixei levar neste amor por TI.

quinta-feira, 1 de julho de 2010